Como mudar para a Argentina

Como mudar para a Argentina

Já considerou morar na Argentina? O país do lado possui diversos fatores que atraem muitos brasileiros para a Argentina todos anos quer para visitar, quer para viver. De forma temporária ou permanente, a Argentina é um país que oferece muitas vantagens para o brasileiro, que mantem os mesmos direitos civis e trabalhistas que no Brasil. Isso acontece graças ao Acordo de Residência Mercosul, que oferece as mesmas vantagens para outros países como a Bolívia, o Chile, o Equador e o Peru.

Para se mudar para a Argentina, é necessário ter em conta vários fatores como o custo de vida e as ofertas de trabalho, assim como todo a documentação necessária para a mudança. Se gostaria de estar mais informado sobre esse assunto, continue lendo esse artigo do umComo e saiba como mudar para a Argentina.

Documentos para se mudar para a Argentina

É necessário tempo e dedicação para organizar toda a documentação necessária. Dependendo do visto que você procura e do seu consulado, os papéis necessários podem ser diferentes. No entanto, todos os documentos básicos para quem quer mudar para a Argentina incluem:

  • Certidão de nascimento original ou atualizada;
  • 2 cópias da certidão de nascimento;
  • Passaporte original (deve ter pelos menos 2 anos de validade);
  • 2 cópias (obrigatório serem autenticadas) das 3 páginas iniciais do passaporte;
  • Certidão de casamento atualizada ou original (uma cópia para cada um dos cônjuges);
  • 2 cópias da certidão de casamento (autenticadas);
  • 2 vias do certificado de antecedentes penais (este documento é feito pela Polícia Federal Brasileira) reconhecidas em um cartório ou validadas via web no website da Policia Federal.
  • 2 cópias autenticadas do documento de identidade;
  • 4 fotos 4x4. As fotos devem ser tiradas de frente, com fundo, sem data, 1/2 busto, a cores e sem óculos.

Depois de reunir esta documentação, Procure um escritório do Ministério das Relações Exteriores para legalizá-los. Acesse o website do Itamary para especificar quais os documentos que vai enviar ao Ministério das Relações Exteriores, identificando a legalização que será efetuada pelo acordo entre o Brasil e a Argentina. Depois disso, junte esse formulário aos demais documentos e envie para o escritório do MRE mais perto de você. A legalização pode demorar até 20 dias.

É também necessário marcar uma entrevista no Consulado Geral da Argentina de forma a obter o visto. Isso pode ser feito via Internet, enviando um e-mail para spvisas@mrecic.gov.ar. Envie um e-mail solicitando o agendamento da entrevista e inclua os seus dados pessoais (nome completo, nacionalidade, nº de passaporte e visto pretendido). Esse processo pode ser demorado, por isso envie essa mensagem o mais rápido possível. Depois da entrevista, você pode receber o seu visto no próprio dia ou um dia depois.

Custo de vida na Argentina

O custo de vida no país varia conforme o seu estilo de vida e a zona para onde você pretende se mudar. O câmbio favorece o brasileiro, uma vez que um peso argentino ronda os R$0.30. No entanto, os gastos médios variam muito do interior para a capital.

Em Buenos Aires, os preços são idênticos aos de cidades como Rio de Janeiro e São Paulo. Nas cidades do interior como Rosário, que é muito procurada pelos brasileiros, o custo de vida é inferior aos das cidades mais importantes do interior brasileiro. Os gastos em Rosário apresentam custos inferiores em 28% a Santos, 24% inferiores a Campinas e 17% inferiores a Niterói.

Alguns itens são mais baratos no Brasil e mais caros na Argentina, e vice-versa. Enquanto as roupas são mais caras na Argentina do que no Brasil, os transportes públicos são mais baratos no país vizinho. Confira algumas comparações se pretende mudar para a Argentina:

  • Restaurantes são 51% mais baratos no Brasil;
  • Transportes são 24% mais baratos na Argentina;
  • Aluguel é 39% mais barato no Brasil;
  • Mantimentos de supermercado são 45% mais baratos no Brasil;
  • Poder de compra brasileiro é 34% menor no Brasil do que na Argentina.

Gastos

Solteiro: Para um brasileiro solteiro que leve uma vida bem econômica, os gastos médios mensais rondam os 6 mil pesos argentinos, o que equivale a R$1.810.

Se a pessoa levar uma vida moderada, a média ronda os 8 mil pesos argentinos correspondentes a R$2.415.

Caso você procure uma vida confortável, os gastos estarão entre os 10 e os 12 mil pesos argentinos, equivalentes a R$3.000 e R$3.600 mensais, respetivamente.

Estudante: Para quem procura estudar na Argentina de forma econômica, vivendo em quarto partilhado de residência universitária, comendo em casa e circulando de transportes públicos, o gasto mensal ficará entre os1350 e os 1500 reais.

Um estudante com gastos razoáveis que divide uma casa com outros estudantes, alterna entre as refeições caseiros e de restaurante, e gasta dinheiro em saídas à noite esporádicas gastará entre 1750 e 1900 reais em faculdade pública, e entre 2300 e 2500 reais em faculdade privada.

Se o estudante levar uma vida bem luxuosa e viver sozinho em um partamento, comendo em bons restaurantes, aproveitando a vida noturna da capital e tendo gastos de combustível ou táxi, os valores rondam os 3000 reais para a faculdade pública e os 4000 reais para a faculdade particular.

Famílias: os gastos familiares dependem da quantidade de crianças, assim como o tipo de ensino (privado ou público) e do meio de transporte usado. Famílias com 2 filhos em Buenos Aires, sem viatura própria, vivendo de forma super econômica, gastarão cerca de 15 mil pesos argentinos por mês, o que corresponde a 4525 reais. Este valor não inclui qualquer tipo de luxos.

Trabalho na Argentina

Se está pensando se mudar para a Argentina, tenha em conta que conseguir um trabalho não é fácil. A Argentina está enfrentando uma crise financeira, uma contração do mercado e uma subida do custo de vida laboral. Existem vagas para trabalhos temporários que são, geralmente, mal pagos. Caso você tenha tem boas qualificações, o ideal é procurar trabalho pela Internet. Alguns site podem ajudar nessa tarefa: acesse o Infojobs e o Bumeran.

Não esqueça que o conhecimento de espanhol de nível intermediário é um requisito mínimo, assim como a documentação atualizada que permite que o brasileiro tenha emprego na Argentina. Se a sua situação não estiver legalizada, o melhor é nem procurar trabalho.

Vantagens e desvantagens

Como qualquer país, existem vantagens e desvantagens em se mudar para a Argentina. Saiba quais são:

  • A situação econômica e política não está fácil. A inflação está muito alta, dificultando a vida no local. O preço da comida e do aluguel são altos e a moeda desvalorizou.
  • É difícil fazer amigos. Os brasileiros na cidade de Buenos Aires costumam sentir dificuldade em se relacionar com os argentinos, que são muito fechados em grupos. Na Argentina, o brasileiro costuma fazer amizade com os compatriotas no país.
  • A gastronomia Brasileira é muito difícil de encontrar.
  • A cultura do país é muito rica e o povo argentino possui celebrações tradicionais e eventos culturais muito próprios.
  • Existem vários cursos baratos em Buenos Aires e outras cidades do interior.

Agora que já sabe como mudar para a Argentina, dê uma olhada nesse artigo que pode ser útil nessa etapa da sua vida: Como começar a procurar trabalho no estrangeiro

Boa sorte!

Se pretende ler mais artigos parecidos a Como mudar para a Argentina, recomendamos que entre na nossa categoria de Finan├žas Pessoais.