Partilhar

Como funciona o financiamento de casa própria

Por Samanta Fluture. Atualizado: 20 janeiro 2017
Como funciona o financiamento de casa própria

Conseguir comprar a casa própria é um dos maiores sonhos dos brasileiros, bem como o maior investimento financeiro que uma pessoa pode fazer. Se você não possui recursos suficientes, saiba que existem diversas formas de juntar o dinheiro necessário para adquirir seu imóvel. Uma das saídas mais populares é fazer um financiamento.

O financiamento pode ser feito de diversas formas, seja pelo banco, pela construtora ou até usando seu FGTS. Para tirar todas as suas dúvidas sobre o assunto e explicar a você como o financiamento da casa própria funciona, o Umcomo.com.br separou diversas dicas sobre cada tipo de financiamento e os cuidados que se deve ter até quitar a dívida.

Requisitos básicos para fazer financiamento

Para fazer um financiamento, existem alguns requisitos básicos que você deve ter antes de prosseguir: ser brasileiro nato (ou com visto permanente, caso seja estrangeiro), ser maior de 18 anos (ou emancipado), não ter o nome sujo e possuir capacidade de pagar o financiamento no futuro. Outra necessidade é que você não poderá ter mais de 80 anos ao término do financiamento. Por isso, se tiver 70 hoje, seu financiamento poderá durar no máximo 10 anos.

Tipos de financiamento cimento para a casa própria

Existem diferentes tipos de financiamento, dependendo de seus recursos e necessidades. São eles:

  • Carta de Crédito FGTS
  • Carta de Crédito Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE)
  • Financimento pelo banco
  • Financimento pela construtora
  • Programa Minha Casa, Minha Vida

Financiamento pelo SBPE

O financiamento através do SBPE não coloca limite na renda. Além disso, se o valor do seu imóvel está dentro dos limites do Sistema Financeiro de Habitação (SFH) estabelecido pelo governo, então as taxas de juros do financiamento não poderão passar de 12% ao ano.

Financiamento pelo FGTS

O financiamento que usa os recursos do FGTS faz parte do Sistema Financeiro de Habitação (SFH) também. Neste tipo de financiamento, o limite de valor pode variar. Porém, você só poderá participar se tiver uma determinada renda familiar máxima, um valor que depende da região do país. Assim como no SBPE descrito acima, as taxas de juros aqui também são mais baixas, se o valor do seu imóvel respeitar o limite imposto pelo SFH.

Financiamento pela construtora

Se você não se enquadra em nenhuma das opções acima, há o financiamento pela construtura. Este tipo oferece maior flexibilidade na hora de negociar. Ou seja, não há limite sobre o valor a ser financiado, nem sobre sua renda ou a taxa de juros que pagará. Porém, por ser uma empresa (e não o governo), os riscos podem ser maiores. Caso a construtura declare falência e deixar uma dívida, você poderá perder sua casa se ainda estiver financiada. Por isso, depois de quitar sua dívida, é muito importante que a construtura tire o imóvel da hipoteca e o passe para o seu nome. Para fazer isso, você deverá obter em qualquer cartório a certidão de ônus reais.

Financiamento pelo banco

Uma outra opção que oferece diferentes recursos dependendo dos seus planos e necessidades é fazer o financiamento através do banco. O que diferencia este tipo são as condições de pagamento, onde a taxa de juros, a duração do contrato e o valor do imóvel pode variar dependendo do caso. O primeiro passo para utilizar esse recurso é ir até a agência bancária escolhida e conversar com um gerente. Nos passos seguintes, você deve levar todos os documentos necessários e esperar que o banco avalie seu imóvel para iniciar a etapa de liberação do crédito.

Diferenças entre os tipos de financiamento

Tanto o financiamento pelo banco ou pela construtura possuem maior flexibilidade pois não precisam exercer os limites do SFH. Assim, se o seu imóvel possui um valor mais alto, estas duas são as melhores opções. Porém, se o seu imóvel está dentro do limite do SFH e você necessita de juros baixos, nossa sugestão é seguir para os financiamentos por FGTS ou SBPE.

A prestação é sempre do mesmo valor?

Não. As prestações deverão se tornar menor a cada mês. Cada prestação possui o valor da amortização (parte do valor do imóvel que foi negociado), os juros e o valor do seguro. O cálculo da taxa de juros a ser cobrada depende do valor do imóvel e também da sua renda familiar. Somente no caso das construtoras é que a própria empresa determina a taxa de juros.

Se pretende ler mais artigos parecidos a Como funciona o financiamento de casa própria, recomendamos que entre na nossa categoria de Economia e Negócios.

Escrever comentário sobre Como funciona o financiamento de casa própria

O que lhe pareceu o artigo?

Como funciona o financiamento de casa própria
Como funciona o financiamento de casa própria

Voltar ao topo da página