Partilhar

Como classificar as despesas em uma empresa

Por Sara Viega. Atualizado: 16 janeiro 2017
Como classificar as despesas em uma empresa
Imagem: blog.openges.es

Ainda que todos pretendamos que as despesas sejam as menores possíveis para aumentar a rentabilidade e o lucro da empresa, é indiscutível que elas são uma parte essencial da vida da empresa, já que são necessários. Devido à diversidade de partidas de despesas que uma empresa tem, é conveniente tê-las o mais organizadas possível, por isso neste artigo de umComo.com.br explicaremos a você como classificar as despesas em uma empresa.

Também lhe pode interessar: Como fazer a contabilidade de uma PME

Se forem atribuíveis ao produto

A primeira classificação será feita em função de se a despesa é direta ou indiretamente atribuível ao produto ou serviço que a empresa desenvolve e oferece. Portanto, temos:

  • Despesas diretas: são imediatamente atribuíveis a um determinado produto, pelo qual se conhece a proporção e quantia que corresponde a cada produto ou lote de produtos. Pode ser, por exemplo, o custo da matéria-prima para elaborá-lo ou a comissão que um comerciante ganha por sua venda.
  • Despesas indiretas: têm dificuldades para medir que quantidade desta despesa pertence a cada produto. Costumam ser despesas gerais atribuíveis à própria atividade empresarial, como despesas de fornecimentos ou salários de determinados departamentos.

Segundo o volume de negócio

Estas despesas são classificadas de acordo com o volume de negócios que a empresa gere, é a medida mais frequente. Podemos distinguir entre as seguintes possibilidades:

  • Custos fixos: são aqueles custos que não dependem da quantidade de produção ou serviços que a empresa vender, já que são sempre iguais, independentemente de se produzir muito ou pouco. Como exemplos, estariam o custo de pagar o aluguel de um galpão ou dos salários dos empregados.
  • Custos variáveis: estes dependem da quantidade de produção e do volume de vendas da empresa. Por exemplo, seria um custo variável a matéria-prima necessária para produzir um produto, já que quanto maior a produção, maior a quantidade da mesma.
  • Custos semi-fixos: sua principal característica é que são fixos para um determinado volume de negócio, mas vão variando à medida que passam de uma faixa para outra. Por exemplo, de 1 a 100 unidades é a mesma quantidade, mas ao chegar a 101 varia e mantém-se até chegar a 250. Um exemplo seria a necessidade de contratar empregados para produções eventuais que precisem de uma maior quantidade deles.

Se pretende ler mais artigos parecidos a Como classificar as despesas em uma empresa, recomendamos que entre na nossa categoria de Economia e Negócios.

Escrever comentário sobre Como classificar as despesas em uma empresa

O que lhe pareceu o artigo?

Como classificar as despesas em uma empresa
Imagem: blog.openges.es
Como classificar as despesas em uma empresa

Voltar ao topo da página